Em sua terceira passagem pelo Vitória o meia Marcelo Passos Junior, filho do também meia Marcelo Passos (jogador que fez carreira na década de 1990, em clubes como Santos, Flamengo, Goiás, Sport e Náutico), retorna ao Vitória com fome de vencer.

Hoje mais rodado e maduro, Marcelo Passos Jr, afirma está mais preparado e fala em foco e trabalho duro para vencer os obstáculos e levar o Tricolor das Tabocas longe na competição.

“Chego com uma expectativa muito alta em poder fazer um grande trabalho. Aqui [Vitória] me sinto em casa. Já tive duas oportunidades, em 2016 e 2017.  Já conheço a casa, a história do clube, já conheço as instalações, então me sinto totalmente em casa aqui. Tem tudo pra fazer um ótimo campeonato. Afinal de contas é uma competição muita boa, com uma visibilidade muito grande. Pra nós que almejamos coisas grandes em nossas carreiras é uma oportunidade muito boa de poder mostrar o nosso trabalho. A ideia é ajudar o Vitória em poder fazer um bom campeonato e colocá-lo no cenário onde ele merece e a gente conquistar nossos objetivos”, contou. 

Sobre a pressão da competição…

“A gente não se sente pressionado, porém sabemos da importância de pontuar tanto em casa quanto fora, temos que fazer de tudo, dar o máximo pra conquistar o maior número de pontos e consequentemente garantir a classificação. Óbvio que é difícil, respeitando as outras equipes que também estão se reforçando, mas eu acredito que, com o trabalho que está sendo feito, com foco, dedicação de todos os atletas, comissão e diretoria, presidente. Acredito que com todo mundo remando na mesma direção, a gente consegue essa classificação “. 

Sobre a responsabilidade de ser o homem do meio…

“Hoje eu com 25 anos já tenho uma certa rodagem. Não diria o homem do meio campo, mas ser o homem que vai ajudar muito o Vitória. Estou preparado, com a cabeça muito boa, muito focado, me cuidei,  me preparei bastante para esta oportunidade agora, dar continuidade no trabalho eu creio que tenho tudo pra fazer um ótimo campeonato e ajudar o Vitória e se for da vontade do professor [Fernando Alcântara], ser o homem do meio campo, ele sabe que vai poder contar comigo”. 

 

Sobre ser filho de um grande jogador do futebol brasileiro…

” Essa questão do nome eu acho até importante frisar: o nome é igual ao pai que eu tive, ao atleta que conquistou títulos e chegou onde chegou na carreira dele, mas é só o nome; ele é meu pai, mas isso eu procuro deixar de lado, e procuro construir a minha carreira com o meu trabalho, sem essa ideia de comparação, de ser filho de um cara importante, procuro fazer o meu e quem sabe futuramente possa ser o Marcelo Passos Junior que vai ganhar títulos e não o filho do Marcelo Passos “

Sobre a relação com o torcedor do Vitória…

“Desde minha primeira passagem aqui eu fui muito bem recebido. À época nos jogávamos no Carneirão e treinávamos lá também, sempre tinha torcedor acompanhando os treinos e sempre fui bem tratado, mesmo quando era momento de cobrança ou crítica por que isso também faz parte do futebol, eu sempre tive uma relação muito boa com todos aqueles torcedores que acompanhavam o dia a dia do clube. Mas é isso, é trabalhar firme e se Deus quiser vamos chegar longe”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *