O pentacampeão mundial brasileiro e ex-jogador do Barcelona Edmílson Moraes realizou agenda no Compaz Eduardo Campos, no Recife, e no Instituto Dom de Deus, em Vitória de Santo Antão, respectivamente, para realizar peneiras e avaliações, com o intuito de descobrir histórias e talentos improváveis do futebol. A dinâmica fez parte da série de oito episódios do canal do pentacampeão no Youtube, “Os Improváveis”, que recebe esse nome por revelar talentos de regiões menos favorecidas.

A ação em Pernambuco recebeu apoio da ONG Paratodos, que promove projetos com foco na diminuição da desigualdade social e transformação da realidade de crianças e jovens, e esteve sob a coordenação da Regra3, empresa de responsabilidade social, especializada em unir os três principais pilares da sociedade: público, privado e o terceiro setor.

Na quinta-feira (23), primeiro dia da agenda, o jogador visitou o Centro Comunitário da Paz (Compaz) Governador Eduardo Campos, localizado no Alto Santa Terezinha, Zona Norte do Recife. Neste dia, o jogador conheceu seis escolinhas sociais de futebol e foi acompanhado pelo secretário de Segurança Cidadã do Recife, Murilo Cavalcanti, especialista em políticas públicas de prevenção à violência urbana, responsável pela concepção e modelo de gestão dos Compaz.

Nesta sexta-feira (24), Edmílson seguiu em direção à cidade de Vitória de Santo Antão, Zona da Mata de Pernambuco, para conhecer as ações do Instituto Dom de Deus. A entidade existe há cinco anos e atende crianças e adolescentes em vulnerabilidade social, através da música. Na ocasião, Edmílson gravou “Os Improváveis” no campo da Escolinha Porto Cajueiro, unidade que acolhe 70 atletas entre crianças, adolescentes e jovens em vulnerabilidade social e é parceira do instituto.

“Estamos muito felizes em poder viabilizar a vinda de Edmílson e a série Os Improváveis para Vitória do Santo Antão através da parceria da nossa ONG Paratodos com o Instituto Dom de Deus. A nossa parceria com o instituto tem transformado as vidas de 190 crianças e adolescentes em vulnerabilidade social através de aulas de reforço escolar, música, ballet, doação de cestas básicas para as famílias dos alunos e suporte para a escolinha de futebol, que hoje conta com 70 atletas, aqui há muitos talentos improváveis”, declarou a idealizadora e presidente da Ong Paratodos, Marina Maciel.

“Saber que nosso pentacampeão mundial vai poder conhecer esses talentos de perto, deixa uma sensação de que estamos no caminho certo para conseguirmos cumprir nossa missão social. Isso nos impulsiona a continuar sonhando e fazendo mais para todos. Estamos unindo propósitos”, completou.

Em conjunto com a Fundação Edmílson, os locais visitados tiveram suas vulnerabilidades e necessidades analisadas para possíveis ações de transformação social.

Folha de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *